A Universidade de São Paulo (USP) agora está entre as 150 mais bem avaliadas – em 2018, aparecia no bloco seguinte, de 151 a 200.

Praça do Relógio, na Cidade Universitária da USP, em São Paulo — Foto: Divulgação/USP
Praça do Relógio, na Cidade Universitária da USP, em São Paulo — Foto: Divulgação/USP

A Universidade de São Paulo (USP), primeira universidade brasileira a aparecer na lista de melhores instituições do mundo no ranking de Xangai, subiu posições no quadro divulgado nesta quinta-feira (15), em relação ao ano passado. A USP agora está entre as 150 mais bem avaliadas – em 2018, aparecia no bloco seguinte, de 151 a 200.

O Ranking Mundial Acadêmico de Universidades (ARWU, na sigla em inglês), da consultoria chinesa Shanghai Ranking Consulting, tem a particularidade de apresentar sequencialmente apenas as 100 primeiras colocadas. Depois, a partir de 101, a lista se divide em blocos de 50 ou 100, sem especificar o lugar exato de cada uma.

Na sequência divulgada nesta quinta-feira, aparecem ainda outras cinco universidades brasileiras, que não mudaram de colocação em relação ao ano passado. São elas: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade do Estado de São Paulo (Unesp) e Universidade de Campinas (Unicamp), entre a 301ª e a 400ª posição, e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no bloco entre o 401° e o 500° lugar.

O ranking é um dos mais respeitados do mundo, ao analisar cerca de 1 mil instituições do planeta e selecionar as 500 melhores. Na avaliação, seis critérios são considerados: o número de professores ou diplomados que venceram prêmios Nobel ou medalhas Fields (o Nobel da matemática), o número de pesquisadores mais citados nas suas áreas e as publicações nas revistas científicas Science e Nature. A classificação é criticada por excluir as ciências humanas e negligenciar os métodos de ensino, ao se concentrar apenas em parâmetros quantitativos.

Americanas permanecem as melhores

As universidades americanas continuam a dominar o ranking, com oito entre as 10 primeiras posições. A liderança é de Harvard, que ocupa a posição pelo 17º ano consecutivo. Vêm em seguida Stanford e a britânica Oxford.

A primeira universidade francesa a aparecer é a Paris-Sud, na 37ª colocação, seguida pela Sorbonne, em 44º lugar. No total, 21 estabelecimentos franceses são citados na lista.