Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre diz que fiscalização da prefeitura é “desproporcional”

Diante do cenário de reabertura gradual de bares e restaurantes em Porto Alegre, que agora podem funcionar de segunda-feira a sábado, das 11h às 22h, o Sindha (Sindicato de Hospedagem e Alimentação de POA e Região) criticou as recentes operações de fiscalização realizadas por órgãos municipais, classificando-as como “desproporcionais”.

“O setor está cumprindo rigorosamente seus protocolos. E isso desde o princípio. Estamos acompanhando proprietários totalmente engajados em proporcionar ambientes seguros para clientes e funcionários, e nos preocupa que a fiscalização da prefeitura seja totalmente desproporcional. É incoerente notificar restaurantes em cumprimento com as regras e ainda fazer isso com claro abuso de poder”, disse o presidente do Sindha, Henry Chmelnitsky.

“A fiscalização precisa existir para que tenhamos um cenário seguro no cumprimento dos protocolos e, consequentemente, sem retrocessos na liberação, mas não podemos admitir excessos nesse caminho quando somos os primeiros a seguirmos todos os processos. Não tem como justificar uma ação nessa intensidade”, declarou.

Em uma operação realizada na noite da última sexta-feira (4) para fiscalizar bares e restaurantes no bairro Cidade Baixa, três estabelecimentos foram autuados. Segundo a prefeitura, foram constatadas irregularidades como ausência de distanciamento entre mesas, presença de mais de quatro clientes por mesa, recebimento de clientes após as 22h, falta de kit de higiene nos sanitários e aglomeração externa.