Prefeitura oferece acesso gratuito à internet para alunos

Por Redação O Sul | 31 de agosto de 2020

A prefeitura de Porto Alegre começou a oferecer nesta segunda-feira (31) acesso gratuito à internet para os alunos do ensino fundamental das escolas públicas estatais e comunitárias. O benefício é disponibilizado para uso da plataforma digital adotada pela Secretaria Municipal de Educação para gestão das atividades escolares durante a pandemia causada pelo novo coronavírus e após a retomada das atividades presenciais nas instituições de ensino.

Foram contratados pacotes de dados de todas as operadoras que atuam em Porto Alegre. Os estudantes poderão acessar gratuitamente o conteúdo postado pelos professores. O acesso à internet é pago pela prefeitura desde que realizado pelo aplicativo Aluno POA (Dados Patrocinados). As licenças para uso da plataforma de gestão Córtex são custeadas por doação dos empresários Jorge Gerdau Johannpeter e Klaus Gerdau Johannpeter, do Grupo Gerdau, com investimento é de R$1,23 ao mês por aluno. Quem já tinha o aplicativo Córtex Aluno deverá baixar o app Aluno POA para poder ter acesso à internet patrocinada.

Desde o lançamento, em junho, a Smed realizou uma série de reuniões envolvendo diretores, supervisores e professores das 56 escolas municipais e duas comunitárias que oferecem o ensino fundamental. “A plataforma já estava em nossos projetos, mas a pandemia obrigou-nos a promover adaptações às necessidades da educação remota. Precisávamos de uma alternativa que permitisse a retomada e o fortalecimento do vínculo entre aluno e professor, que é fundamental para o processo educativo”, explica o secretário Adriano Naves de Brito. “Com o aplicativo, também estimulamos a participação dos pais, que poderão acompanhar pelo celular as tarefas enviadas pela escola e o desempenho dos filhos”, complementa.

Proposta pedagógica

A Córtex é uma ferramenta de gestão escolar que permite o registro das atividades e inclui recursos para a interação entre aluno e professor, além do acompanhamento por parte das famílias. O processo incluirá planejamento, envio ao estudante, recepção pelo docente e avaliação das ações educacionais, que também podem ser feitas por meio de outras plataformas de conteúdo digital parceiras.

De acordo com a legislação, essas atividades poderão ser contadas como dias letivos desde que se comprove o estabelecimento de vínculo e seja assegurada a qualidade do ensino. Os alunos que não tiverem acesso à plataforma não terão prejuízo de aprendizagem, já que poderão recuperar o conteúdo posteriormente. Outras dificuldades das turmas serão avaliadas caso a caso.

Entre as funcionalidades estão: chamada/lista de presença; envio de conteúdo; recebimento de atividades; avaliações; envio de mensagens, inclusive pela Smed; registro de atividades/diário de classe.

Print Friendly, PDF & Email