Porto Alegre tem mais de 26 mil casos confirmados de coronavírus

A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre registra o total de 26.035 casos confirmados de pacientes de Porto Alegre com o coronavírus (Covid-19) até esta sexta-feira (4). São 74.492 casos negativos e 9.260 em análise. Entre os casos confirmados, 20.987 pessoas se recuperaram da doença na Capital. Segundo o boletim, treze pessoas morreram em decorrência de complicações da Covid-19 nesta sexta-feira em Porto Alegre.

Os serviços de Unidade de Terapia Intensiva da cidade apresentam 347 casos confirmados de Covid-19, sendo duas na pediatria, além de 28 casos suspeitos de adultos e quatro na pediatria.

A situação completa do coronavírus até este 4 de setembro é de 26.035 casos confirmados, 9.260 casos suspeitos, 74.492 casos negativos, 20.987 recuperados, 754 óbitos, 347 pacientes confirmados em UTI, 28 pacientes suspeitos em UTI e 40 inconclusivos.

Doação de Órgãos

Difundir a importância da doação de órgãos e tecidos e estimular as famílias a conversarem sobre o tema são objetivos da campanha De Setembro a Setembro. Para atingir um maior número de pessoas, a Central de Transplantes do Rio Grande do Sul pediu apoio de diversos órgãos públicos ou representativos para se unirem à causa e ajudarem a divulgar a campanha, não apenas em setembro, mas em todos os meses do ano. Em reunião, estiveram presentes representantes dos poderes executivo, legislativo e judiciário do Estado.

A ideia, de acordo com a coordenadora da Central de Transplantes, Sandra Coccaro, é trabalhar a informação, desmistificar questões referentes à doação e sensibilizar a população através do diálogo. A campanha também busca qualificar o acolhimento aos familiares por parte das equipes que trabalham nas UTIs dos hospitais notificantes no processo de doação e transplantes. “Precisamos ter engajamento durante todo o ano e realizar um trabalho continuado de esclarecimento sobre a possibilidade de se salvar vidas”, disse a coordenadora. De acordo com ela, os dados históricos mostram uma negativa familiar na média de 40%. “É esse dado que precisamos mudar”, reforça.

Órgãos como Assembleia Legislativa do RS, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça e Tribunal de Contas serão parceiros para impulsionar e amplificar a campanha, que irá prever divulgações em redes sociais e estações de rádio, assim como iluminação de prédios públicos. “Precisamos fazer a mensagem da doação de órgãos circular. Este é um tema muito caro a todos nós”, falou Ângela Salton Rotunno, do Ministério Público. Outra frente da campanha, que será realizada em parceria com o Conselho Regional de Medicina do RS (Cremers), é a capacitação dos profissionais de saúde para diagnóstico correto da morte encefálica (requisito para doação de órgãos) e também para lidar com os familiares que estão passando por este momento de perda.