Investigação é da polícia de Canoas, que monitorava os suspeitos e conseguiu localizar o desmanche neste domingo (17). Dez veículos foram apreendidos. Operação terminou na madrugada desta segunda (18).

Polícia localizou desmanche de carros no bairro Sarandi, em Porto Alegre — Foto: Nathalia King/RBS TV

Seis pessoas foram presas neste domingo (17) por envolvimento em desmanches de carros, no bairro Sarandi, em Porto Alegre. A investigação foi da 2ª Delegacia da Polícia Civil de Canoas, que rastreou um veículo e conseguiu encontrar o local de desmanche. A pessoa que seria chefe do esquema conseguiu fugir.

Dez veículos foram apreendidos e vão passar por perícia. Eles foram avaliados, juntos, em cerca de R$ 500 mil. Um dos veículos, um Ford Ka, havia sido furtado em Porto Alegre, e depois levado a Canoas. Na madrugada deste domingo, ele foi levado ao desmanche.

Praticamente todas as peças foram retiradas. A polícia estima que os bandidos levavam de uma a duas horas pra desmontar os veículos.

“As peças dele que não tivessem identificação, que não pudessem identificar o veículo de furto, elas seriam transportas para um outro Ford Ka, igual, da mesma cor, que foi adquirido em leilão”, diz o delegado Rodrigo Caldas.

Os presos devem responder pelos crimes de receptação, adulteração de veículo automotivo e associação criminosa. Os agentes ainda descobriram um carro e uma moto de luxo, além de uma banheira de hidromassagem no local.

Na parte de cima da casa, a polícia encontrou um espaço que servia para prostituição. “A edificação é uma torre de babel do crime. Porque em cima de onde estamos é uma casa de prostituição, onde na porta da frente mora uma família, também dos criminosos, com crianças de 2, 3 anos, ou seja, é uma completude criminosa”, afirma Caldas.

A operação seguiu até a madrugada desta segunda (18), quando foi encerrada. “Foi uma ação cirúrgica, necessária para retirar os meios de atuação da quadrilha”, resume o delegado Mário Souza.

Dez veículos foram apreendidos em desmanche localizado pela Polícia Civil após investigação, neste domingo (17) — Foto: Nathalia King/RBS TV