PF barra torcedores argentinos no Rio Grande do Sul

A Polícia Federal informou neste domingo (23) que impediu a entrada de cinco torcedores argentinos pela fronteira do Rio Grande do Sul. Os estrangeiros constam da lista de torcedores com histórico de atos de violência em estádios, fornecida pelo governo da Argentina.

Os torcedores foram impedidos de entrar no país por policiais federais que atuam no controle migratório nas cidades de Uruguaiana , São Borja e Santana do Livramento.

Desde o início da competição, oito viajantes que constam da lista de torcedores violentos já foram impedidos, pela Polícia Federal, de ingressar no Brasil pela fronteira do Rio Grande do Sul.

Entre a última quinta-feira e a madrugada de sexta-feira, dois argentinos também foram barrados pela Polícia Federal em Uruguaiana e Santana do Livramento.

Eles pretendiam ingressar em solo brasileiro para acompanhar a partida da seleção argentina contra o Catar, pela Copa América, que aconteceu neste domingo, em Porto Alegre.

No final de maio, os governos do Brasil e da Argentina firmaram um acordo para proibir a entrada destes torcedores. A lista foi repassada pelo Ministério da Segurança argentino à Divisão de Imigração da Polícia Federal. As informações prestadas pelo governo argentino vão de documentação a dados biométricos.

De acordo com a Polícia Federal, no caso de algum dos argentinos que estão na lista conseguir entrar em território brasileiro, ele será barrado na porta dos estádios da Copa América. Apesar de ser firmado às vésperas da competição, visando a segurança, o acordo continuará vigorando por tempo indeterminado.

Durante a Copa América, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Força Nacional, a Brigada Militar, a Polícia Civil, a Guarda Municipal e a ANTT atuam de forma integrada para intensificar a fiscalização e o atendimento aos turistas que ingressam no Brasil para assistir aos jogos da Copa América.

A mobilização segue até o dia 7 de junho para acelerar os procedimentos migratórios, a inspeção dos veículos e a segurança na área, além de incremento da infraestrutura de atendimento ao público estrangeiro.

*Com informações do repórter Renato Barcellos