“Para muitas pessoas, a memória de Gordon Banks é definida pela defesa que ele fez contra mim em 1970. Eu entendo porque. 

A defesa foi uma das melhoras que eu já vi – ao vivo e em todos os milhares de jogos que assisti desde então. Quando você é um jogador, sabe o quão bem tem que bater na bola. Eu cabeceei aquela bola exatamente como eu queria. Exatamente aonde eu queria que ela fosse. E eu estava pronto para comemorar. 

Mas então esse homem, Banks, apareceu na minha vista, como um tipo de fantasma azul, é como eu descrevo ele. Ele veio de lugar nenhum e fez algo que eu não sentia que fosse possível. Ele desviou minha cabeçada, de alguma forma, para cima e para fora. E eu não conseguia entender o que vi. Até hoje quando assisto, não consigo acreditar. Não consigo acreditar como ele se moveu desde tão longe, tão rápido, Eu marquei tantos gols na minha vida, mas muita gente, quando me encontra sempre me pergunta sobre aquela defesa. Enquanto foi realmente fenomenal, minha memória do Gordon não é definida por isso – é definida por sua amizade. Ele era um homem gentil que deu tanto para as pessoas.

Então eu sou grato que ele salvou minha cabeçada – porque aquele ato foi o começo de uma amizade entre nós que eu sempre irei celebrar. Sempre que nós nos encontramos, sempre era como se nós nunca tivéssemos nos separados.

Eu tenho uma grande tristeza no meu coração hoje e envio condolências para a família, da qual ele era tão orgulhoso. Descanse em paz, meu amigo. Sim, você era um goleiro com mágica. Mas você também era muito mais. Você era um ótimo ser humano”, escreveu Pelé em inglês na sua conta no Instagram.

O ex-goleiro morreu aos 81 anos de idade. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas o inglês lutava contra um câncer renal desde dezembro de 2015. O ex-goleiro foi campeão mundial em 1966 com a seleção inglesa.