Operação ‘Coiote’ da PF prende criminosos envolvidos em esquema de imigração ilegal

A Polícia Federal deflagrou neste sábado a Operação Chacal, que investiga a falsificação de documentos ilegais e imigração ilegal de estrangeiros no Brasil e nos Estados Unidos. Foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e um de busca e apreensão em Epitaciolândia (AC), a 230 quilômetros de Rio Branco. O grupo atuava com contrabando de pessoas de Assis Brasil, no Acre, município na fronteira do País com o Peru e a Bolívia. Segundo as investigações, a quadrilha estava sendo monitorada por autoridades americanas por promover a entrada ilegal de iranianos nos Estados Unidos e no Canadá.

As apurações tiveram início após a prisão de um grupo de iranianos que tentou entrar no Brasil com passaportes falsos – um dos detidos seria o coiote responsável pela promoção da entrada ilegal dos estrangeiros no País. No exterior, o suspeito era monitorado por envolvimento em contrabando de pessoas nos últimos doze anos.

Os policiais apreenderam um celular, um notebook, chips telefônicos de países diferentes, cartões de crédito em nome de várias pessoas e documentos diversos. A PF contou com o apoio da Interpol e a colaboração da Adidância da Polícia de Imigração e Alfândega da Homeland Security Investigations (HSI), do governo americano. O nome da Operação, ‘Chacal’, se refere ao chacal americano, conhecido como coiote. O termo é usado no Brasil para identificar suspeitos de transportar imigrantes para outros países de forma ilegal.

* Com Estadão Conteúdo