Funcionárias de motel de Porto Alegre dizem que não sabiam que local havia sido alugado para festa de adolescente

A Polícia Civil ouviu na quarta-feira (02) duas funcionárias de um motel de Porto Alegre onde uma festa foi encerrada pela Brigada Militar na madrugada de 31 de agosto. Conforme as investigações, estava sendo comemorado o aniversário de uma adolescente, que completava 17 anos. No momento da abordagem, 18 adultos e quatro adolescentes estavam no local.

As funcionárias do estabelecimento disseram que impediram a entrada de adolescentes e de quem estava sem documento de identificação. Também afirmaram que não sabiam que uma festa estava ocorrendo no local. Os policiais já têm provas de que um dos adultos flagrados pelos brigadianos naquela madrugada levou bebidas alcoólicas mais cedo para realização do festejo. Também que foi feito um churrasco no ambiente.

A investigação tem três frentes: a 2ª Delegacia para o Adolescente Infrator apura eventual delito dos menores de 18 anos, a 4a Delegacia de Polícia investiga eventuais crimes praticados pelos adultos e a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima investiga se os adolescentes foram vítimas de algum crime.

Um dos delitos investigados é o que consta no artigo 268 do Código Penal, que é infringir determinação do poder público destinada a impedir disseminação de doença contagiosa. A pena vai de um mês a um ano de prisão, e multa. Isso porque o local estaria sendo usado para aglomeração de pessoas numa pandemia.

A Polícia Civil aguarda imagens das câmeras de segurança do estabelecimento para saber como os adolescentes entraram no local. O proprietário do motel vai prestar depoimento na sexta-feira (04). A Polícia aguarda depoimento da adolescente aniversariante e da mãe dela.