Famílias adiam o desmame dos filhos pelas dificuldades da pandemia

A pandemia e as medidas de isolamento social fizeram com que mais da metade das famílias brasileiras adiassem o desmame, o desfralde e o adeus à chupeta das crianças. Segundo uma pesquisa do site Trocando Fraldas, 59% dos pais decidiram esperar para tirar a chupeta dos filhos, enquanto 54% desistiram de fazer o desfralde durante o período de home office; 53% adiaram o desmame. O motivo é a sobrecarga na rotina que as famílias têm vivido durante a quarentena. Mãe de três crianças, Paula Aranha tinha esperanças de começar o desmame da filha, Lorena, que completa dois anos neste mês, na creche. Ela sentiu, no entanto, que a mudança poderia ser demais para a filha. “Eu ia fazer o desmame quando ela entrou na creche e aí, com a pandemia, ficou impossível. Eu queria conseguir desmamar na madrugada, porque é muito cansativo. Mas não tem o que fazer, tem que esperar”, afirma.

A assistente administrativa Suzan Bagdade também estava contando com o apoio da escola para ajudar no desfralde de um dos filhos, Fernando, de três anos. Com as dificuldades do home office, o processo de largar as fraldas precisou ser adiado para o período de férias, o que preocupa a mãe. “Eu não consigo dar full time atenção para os dois por causa do trabalho. Meu marido fala que é um surto diário em casa, porque você tem que fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Eu vou começar a desfraldar quando entrar de férias. É o único tempo que eu tenho disponível para dar atenção para ele e ver como ele vai se sentir.”

O presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria, Tadeu Fernandes , ressalta que a preocupação é válida. Ele explica que, mesmo dentro de casa, é importante que os pais tentem respeitar os processos de desmame e desfralde, que fazem parte do desenvolvimento das crianças. “Toda criança tem os chamados passos do desenvolvimento. Sempre que você atrasa um passo no desenvolvimento, isso vai ter repercussão lá na frente. Se você atrasa o desfralde, não é só o fato de usar a fralda ou gastar o dinheiro da fralda, é pelo desenvolvimento cognitivo global que você vai ter um atraso”, afirma. O médico destaca que criar uma rotina dentro de casa durante o período sem aulas e de home office pode ajudar nesses processos. Os especialistas dizem ainda que durante o momento de pandemia e sem o incentivo de colegas, pode ser que os pequenos demorem mais para se adaptarem à esses processos.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini