Embalados pela alta nas vendas, empresários pedirão que a prefeitura libere ainda mais o comércio em Porto Alegre

Por Redação O Sul | 31 de agosto de 2020

Reunida nesta segunda-feira (31), a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Porto Alegre avaliou resultados da reabertura gradual de atividades nas últimas semanas. A entidade estima um aumento médio de 50% nas vendas (em comparação ao mesmo período em 2019), ainda que em segmentos como vestuário esse índice tenha sido menor. O próximo passo será pedir à prefeitura um maior afrouxamento das restrições.

Os empresários também relatam uma queda no desempenho financeiro dos negócios on-line, à medida em que o fluxo de consumidores retorna às lojas físicas. “Para os segmentos de serviços essenciais, o cenário se mostra mais positivo, próximo à normalidade, inclusive com números acima da meta em alguns casos”, projeta o site da CDL.

“Em clima de otimismo, os empresários falaram sobre a restruturação de suas empresas, faturamento, expectativas para abertura aos sábados e maior extenso de horário de funcionamento para lojas de ruas e de shoppings centers”, acrescentou o vice-presidente de Marketing da entidade, José Roberto Resende.

Ele salienta que o perfil do consumidor está mais amplo, aberto e versátil, tendo passado por dificuldades financeiras ou não. Também ressalta o papel das lojas nesse novo momento do mercado:

“Todos os consumidores estão saindo da pandemia mais digitais do que entraram, e todos valorizando mais a casa. Esperar pelo cliente não existe mais, a loja agora tem que ser proativa, ir atrás do cliente e acelera mais o processo de transformação digital”.

Reivindicação

Nesta terça-feira, o mês de setembro começa para a CDL com uma reunião on-line com o prefeito Nelson Marchezan Júnior. A pauta deve incluir um pedido para que o setor varejista possa ampliar a sua faixa de funcionamento para até as 19h e também aos sábados – já a autorização para os domingos ficará, segundo fontes extraoficiais, para um próximo encontro.

A ideia é propor o horário das 10h às 18h para o comércio de rua e do meio-dia às 20h para os shoppings. Já para os restaurantes e outros estabelecimentos no ramo de alimentação, cogita-se uma operação do meio-dia às 22h.

“Vamos em Frente”

Conduzindo a reunião virtual, o presidente Irio Piva deu ênfase à nova etapa da campanha #VamosEmFrente, lançada nesta segunda-feira (31). Com um vídeo institucional sobre a retomada do comércio e os desafios enfrentados pelo setor, a CDL quer motivar a categoria a superar a crise. O material está disponível no site e redes sociais.

“Precisamos que o varejo esteja em união e convicto de que é possível vencer este momento”, ressalta o comando da entidade. “Esse é o ponto central da segunda fase do nosso projeto: inovar e reinventar para transformar.”

O combate ao coronavírus gerou grandes desafios à sociedade, com ênfase ao setor varejista, que nos meses de março a agosto registrou a maior queda – 10% – dentre todos os segmentos da economia gaúcha, comparando-se com o mesmo período de 2019.

“Após o fechamento superior a 3,6 mil empresas no Rio Grande do Sul e a ampla retomada dos negócios no mês de agosto, o sentimento que surge é de resistência e transformação”, afirma a CDL. “Engajada nesse propósito, damos início à segunda etapa da campanha #VamosEmFrente com um vídeo institucional que estimula iniciativas para a manutenção e a inovação de negócios.”

Para o presidente da CDL POA, Irio Piva, #VamosEmFrente é mais do que uma campanha: é um manifesto que sintetiza uma vontade de seguir adiante dentro dos desafios que nos são impostos e de olhar em frente para reconstruir o varejo em uma nova realidade: “Queremos incentivar o empreendedor. Mesmo com todas as dificuldades, perseverar e não desistir é fundamental. Nosso papel é estar ao lado do lojista também neste momento”.

(Marcello Campos)

Print Friendly, PDF & Email