Eletrobras espera recuperar cerca de R$ 300 mil com autuações

0
186

Os 10 presos durante a Operação Cai na Real pagaram fiança e já estão em liberdade. A operação foi realizada ontem pela Eletrobras e pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), para combater o desvio de energia elétrica em dois condomínios de luxo da zona Leste de Teresina.

A maioria dos flagrantes ocorreram no condomínio Fazenda Real, localizado às margens da BR-343, entre as cidades de Teresina e Altos. O inquérito será concluído em 10 dias e vai indiciar os presos por furto de energia, ou furto qualificado de energia. A vistoria feita pela Eletrobras na Fazenda Real encontrou 28 irregularidades na medição de energia.

Segundo a gerente de perdas da Eletrobras, Rafaela Moreira, a empresa espera recuperar cerca de R$ 300 mil com as autuações feitas contra os moradores.

“Além das ligações diretas, que geraram atuações por conduções para Delegacia da Greco, também havia irregularidades com os medidores que estavam com display apagado, ou medidores que haviam sido danificados. Então, tinha outros tipos de irregularidades que somaram 28. Aquelas que tinham cadastro estavam sendo faturadas pelo minimo da fase, pagando contas no valor de apenas R$ 60”, explicou.

O delegado Laércio Evangelista, que coordenou a operação, informou que também foram encontradas irregularidades na área comum do condomínio, o que gerou a prisão do sindicado e do eletricista.

“Toda a iluminação externa de condomínio fechado, aquela iluminação que fica no interior do condomínio fechado, deve ser custeada pelo próprio condomínio. E lá no condomínio onde nós estivemos essa iluminação externa estava ligada na rede de iluminação pública, coincidindo, portanto, no crime de furto de energia”, afirmou o delegado.

“O sindico do condomínio foi conduzido, não por sua residência, mas por ser ele o responsável pelo condomínio que estava com ligação irregular”, acrescentou.

Segundo Laércio Evangelista, foram presos Isabel Cistina de Paula Oliveira, Carlos Antônio Mota, Bernardo José de Araújo Barros, Gardênia Modesto de Carvalho Moura, Edson Dias Albuquerque, Alexandre Freitas Lira e Meçlo, Doralice Andrade Parentes, Rui de Sousa Rodrigues, Romário Alves Marinho e Ebano França de Noronha Pessoa,

A Operação Caindo na Real foi deflagrada, na quarta-feira, pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) e a Eletrobras Distribuidora Piauí.

Laércio Evangelista disse que durante a operação foi flagrado no condomínio Fazenda Real imóveis com 12 centrais de ar condicionado recebendo contas de energia que não ultrapassavam R$ 60,00.

Segundo ele, na Fazenda Real, dos 150 imóveis, a maioria de mansões, 20 tinham furto de energia e seus proprietários não foram presos porque não estavam em suas casas.

O coordenador de Segurança Patrimonial da Eletrobras Distribuição Piauí, Carlos Petrônio, disse que durante a Operação Caça Gatos, deflagrada pela companhia e pelo Greco já prendeu 40 pessoas por furto de energia e os prejuízos da Eletrobras com furto e desvio de energia através de fraudes atingem R$ 120 milhões.