Com estiagem prolongada, baixo nível de reservatórios do Sudeste preocupa

Clima seco liga sinal de alerta nos reservatórios do centro sul, mas período chuvoso, que começa em outubro, vai garantir o fornecimento de água. De acordo com os especialistas, as temperaturas do Pacífico estão abaixo do normal, o que caracteriza um efeito “La Ninha” mais fraco. No entanto, a primavera começa no dia 22 de setembro com expectativa de um clima menos seco. O Cantareira, o principal reservatório da região metropolitana de São Paulo, está com 45% de armazenamento. A chuva já esperada para os próximos meses deve atingir os mananciais a partir do mês que vem. O engenheiro do Departamento de Recursos Hídricos da Unicamp, Antonio Carlos Zuffo, aposta em uma normalização no fim de outubro. Para ele, os reservatórios devem resistir ao cenário durante todo ano de 2021.

O meteorologista e professor do IAG da Universidade de São Paulo (USP), Augusto José Pereira, ressalta que as temperaturas vão continuar aumentando. Segundo ele, o Sudeste deverá ter chuva abaixo do normal até novembro. O Paraná vive uma das piores estiagens da história e os reservatórios que abastecem a região metropolitana de Curitiba estão com 34% do volume.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni