Músico Luiz Francisco dos Santos Isidoro morreu em julho de 2008. Na época, Fabricio Gonçalves apareceu com a arma do crime, mas ele não atirou na vítima. O autor do disparo foi Cristian Pardal, julgado e condenado em 2015.

O homem acusado de envolvimento no caso que ficou conhecido como ‘crime do posto’ teve o mandado de prisão decretado 15 anos após o dia do crime, em Santos, no litoral de São Paulo. Fabrício Moderno Lima Gonçalves, 33 anos, apareceu nas imagens de monitoramento do estabelecimento com a arma que matou o músico Luiz Francisco dos Santos Isidoro, de 25 anos. O autor do disparo foi Cristian Pardal, julgado e condenado em 2015.

O g1 teve acesso, nesta terça-feira (17), ao documento que decretou a prisão do Fabrício. Nele, consta que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, após análise de documentos, imagens e provas, manteve a decisão inicial do Tribunal do Júri, e determinou a prisão imediata do acusado. Ele vai responder pelo crime de homicídio qualificado, com pena em regime fechado.

Em 2015, o réu tinha sido condenado em primeira instância a 12 anos de prisão. Na época, o acusado recorreu da decisão em liberdade da decisão e deixou o Fórum de Santos. O g1 procurou o advogado de defesa do réu, Eugênio Malavasi, que preferiu não se manifestar.

Crime do Posto
O músico Luiz Francisco dos Santos Isidoro foi morto em em julho de 2008. Ele foi assassinado após uma discussão por conta de um acidente de trânsito. Ele estava com amigos em uma loja de conveniência de um posto de combustíveis canal 1 e teve um desentendimento com alguns jovens. Eles foram embora e, depois, retornaram com uma arma.

Na época do crime, Christian Pardal fugiu do flagrante, mas confessou ter atirado no músico depois que as imagens das câmeras de monitoramento do posto de combustíveis foram divulgadas. Ele foi julgado e condenado a 12 anos de prisão por homicídio qualificado em 2015.

Pardal ficou preso por quatro dias e conseguiu liberdade provisória. O acusado ainda foi detido outras duas vezes e foi preso por tráfico de drogas.

Já Fabricio Gonçalves apareceu nas imagens de monitoramento segurando a arma. Ele chegou a engatilhar, mas não atirou. Depois, Cristian Pardal pegou a arma e atirou mais de uma vez, matando o músico Luiz Francisco. Na época, a acusação apontou Fabricio como um dos culpados pela morte do músico.

 

Deixe um comentário